O Programa

SOS MANGUEZAIS

É um programa de pesquisa e Educação Ambiental criado e desenvolvido pelo Instituto COMAR – Conservação Marinha do Brasil. O programa está ativo em Joinville, Santa Catarina desde 2011.

OBJETIVOS

Visa realizar um diagnóstico geral dos principais problemas socioambientais encontrados nos manguezais no município, através de visitas técnicas pelos bairros com influência direta deste ecossistema.

PESQUISA E AÇÃO

Além da pesquisa, o programa desenvolve ações de Educação Ambiental nas escolas da região, visando aproximar os alunos da natureza, formando multiplicadores e defensores da causa ambiental, em especial, dos manguezais.

ATIVIDADES

São realizadas práticas no manguezal no entorno da escola, onde os alunos podem observar a realidade de seus bairros, vivenciando a dinâmica ecológica local. As atividades também incluem uma visita aos manguezais da região a bordo de uma embarcação, que se torna um espaço pedagógico de educação ambiental,

CARTILHA

O programa ainda possui duas cartilhas voltadas para os alunos do Ensino Fundamental I e II. Em seu conteúdo são abordados, de uma forma lúdica e informativa, a fauna, a flora e também os impactos ambientais sofridos pelos Manguezais. Além de trazer atividades, jogos e promover a interação entre os alunos e o programa.

IMERSÃO

Assim, incentivando para uma reflexão crítica sobre questões ambientais dos manguezais e da Baía da Babitonga, dentro de uma perspectiva multidisciplinar, abordando aspectos histórico-culturais, ecológicos, econômicos e sociais.

Histórico

O programa SOS Manguezais é uma ação do Instituto COMAR que começou a ser implementada em 2011, com apoio financeiro da, na época, FUNDEMA (Fundação do Meio Ambiente de Joinville) por meio do Edital de Chamada Pública para Seleção de Projetos 2010. O programa foi uma iniciativa que visou fazer um levantamento preliminar das condições de conservação dos ecossistemas de manguezais nos bairros de grande adensamento urbano em Joinville. A ideia foi realizar um diagnóstico geral dos principais problemas socioambientais encontrados nessas regiões. Como resultado, foi diagnosticado que a alta taxa de urbanização exercida no manguezal ocasiona diferentes tipos de pressão, tais como: aterros irregulares, invasões, lixo, ligações clandestinas, lançamento de esgotos irregulares, resíduos de construção civil, poda de árvore e utensílios domésticos. Encontraram-se dejetos provenientes de esgotos, lixos domésticos, ambos jogados de forma irresponsável dentro dos manguezais, atos que vem prejudicando consideravelmente a vida desse ecossistema.

O lixo e o esgoto estavam presentes em todos os bairros visitados, sendo caracterizado frequentemente por valetas e tubos, a céu aberto. Nos aportes fluviais foram encontrados dejetos orgânicos, produtos químicos, gorduras, resíduos industriais, metais pesados e variados tipos de produtos como computador, sofá, tambores de plástico, sacolas plásticas, ferro, entre outros. O diagnóstico das visitas aos bairros e dados disponibilizados pelo IPPUJ (Instituto de Planejamento Urbano de Joinville) sobre a densidade demográfica, possibilitaram uma caracterização da situação do manguezal do município. Sabendo que o município de Joinville carecia de materiais de qualidade referente a manguezais e de ações educativas voltadas a esse ecossistema, foi criada uma cartilha, ricamente ilustrada por fotos que retratavam a realidade local. Assim, buscou-se a disseminação de informações referente a importância dos ecossistemas de manguezais para o município. Este material educativo foi entregue à população através de ações nas unidades escolares do município.

Na continuidade deste programa, que devido à sua notoriedade teve aporte financeiro do Poder Judiciário de Santa Catarina, sendo realizado entre 2013 e 2014, mais de 2.200 alunos tiveram a oportunidade de participar das oficinas realizadas pelos biólogos do Instituto COMAR. Para dar continuidade a este Programa, em 2015 foi apresentado à Companhia Águas de Joinville uma estratégia diferenciada para se trabalhar a Educação Ambiental junto aos alunos, baseada no conceito do contato dirigido com a natureza. Na oportunidade, mais de 3.295 alunos participaram das atividades do programa. Nos anos de 2016 e 2017, o programa teve apoio da Prefeitura Municipal de Joinville, através da Secretaria de Meio Ambiente, onde foi refeito o diagnóstico com os principais problemas socioambientais encontrados nos manguezais do município. Ainda, durante esse período, foram feitas atividades com 1.110 alunos da rede de ensino de Joinville. Para o ano de 2019, o Programa conta com apoio da empresa Tupy e da Policia Militar Ambiental de Santa Catarina.

O Manguezal

Manguezal é uma zona úmida, definida como “ecossistema costeiro, de transição entre os ambientes terrestre e marinho, característico de regiões tropicais e subtropicais, sujeito ao regime das marés” (SCHAEFFER-NOVELLI, Y. Manguezal ecossistema entre a terra e o mar.São Paulo: Caribbean Ecological Research, 1995, p. 7).
Vídeos

Imagens Aéreas

 

Equipe

JOHNATAS ADELIR ALVES

BIÓLOGO

Doutorando em Zooologia (UFPR), é Mestre em Sistemas Aquáticos Tropicais pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Biólogo com habilitação em Biologia Marinha e Pós-Graduado (latu sensu) em Biologia da Conservação e Magistério Superior, ambos pela Universidade do vale do Itajaí (UNIVALI). Participa de estudos em ecossistemas costeiros e marinhos com conservação marinha, áreas marinhas protegidas, pesca artesanal e ecologia e conservação de peixes recifais. Sócio-fundador do Instituto COMAR - Conservação Marinha do Brasil, exerce o cargo de Diretor Administrativo e de Projetos.

LEONARDO SCHLOGEL BUENO

BIÓLOGO

Doutor em Oceanografia Ambiental pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), mestre em Sistemas Costeiros e Oceânicos pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Biólogo com habilitação em Biologia Marinha. Ictiólogo especializado em peixes recifais tendo trabalhado também com peixes demersais da plataforma rasa. É um dos sócio-fundadores do Instituto COMAR, atua como conselheiro fiscal.

DOUGLAS MACALI SOUZA

BIÓLOGO

Mestre em Saúde e Meio Ambiente, Pós-Graduado em Manejo e Conservação da Biodiversidade, Biólogo com habilitação em Biologia Marinha pela Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Trabalha desenvolvendo Projetos de Pesquisa na área de Educação Ambiental, Socioambiental e de conservação da biodiversidade. Além disso, atua gerenciando equipes e recursos de instituições públicas e privadas, atuando na captação de recursos. É um dos sócio fundadores do Instituto COMAR, atua como conselheiro fiscal.

DIOGO AUGUSTO MOREIRA

BIÓLOGO

Mestre em Saúde e Meio Ambiente, com especialização em Biologia da Conservação pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Biólogo com habilitação em Biologia Marinha pela Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). É o atual Diretor Presidente do Instituto COMAR, pesquisador e atua nas ações de educação ambiental, projetos de pesquisa e mergulho científico.

THIAGO FELIPE DE SOUZA

BIÓLOGO

Mestre em Saúde e Meio Ambiente, Biólogo com habilitação em Biologia Marinha pela Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). É pesquisador do Instituto COMAR, possuindo vasta experiência com ações de educação ambiental, planejamento, gestão e execução de projetos de pesquisa e mergulho científico. Atua como conselheiro fiscal.

Instituto Comar - Conservação Marinha do Brasil

A instituição é uma associação civil ambientalista, sem fins econômicos, de caráter científico e educacional. A entidade foi idealizada por quatro biólogos, em fevereiro de 2008, sendo qualificado como OSCIP desde 2008, em 2012 recebeu o título de Utilidade Pública e possui cadastro ativo no Conselho Regional de Biologia (CRBio3) e no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalista (CNEA).
O Instituto COMAR foi criado diante a perspectiva de atuação com pesquisa e conservação ambiental, somado à necessidade de reunir esforços não-governamentais a ações de conservação e uso sustentável da biodiversidade. Desde então idealiza projetos voltados para a pesquisa e conservação, nas mais diversas áreas de conhecimento. O Instituto COMAR tem a finalidade de atuar pela preservação, conservação, recuperação e manejo sustentável do meio ambiente e dos bens e valores culturais.
Contamos com uma equipe multidisciplinar apta a elaborar e executar projetos e programa ambientais, e também auxiliar na construção de políticas públicas ligadas a questão ambiental, atuando em conjunto com uma rede de parceiros e a sociedade civil envolvida. Participamos ativamente de reuniões, fóruns regionais e consultas públicas, opinando sobre ações de conservação e uso sustentável da biodiversidade.

Contato:

  •  55 47 99946-1413
  •  55 47 99609-4407
  •  Rua Helena Degelmann, 104 - Joinville - SC

DOWNLOAD
DOWNLOAD
2ª Edição/2019 - DOWNLOAD

Contato

Entre em contato com o programa S.O.S Manguezais!
Please fill in all of the required fields